O geodestino Ancares-Courel está composto pelos municípios d’A Fonsagrada, As Nogais, Baleira, Becerreá, Cervantes, Folgoso do Courel, Navia de Suarna, Negueira de Muñiz, O Incio, Pedrafita do Cebreiro, Ribeira de Piquín, Triacastela e Samos.

 

As serras d'Os Ancares e d'O Courel estendem-se por Lugo, no limite com as Astúrias e Leão. São o maior espaço natural da Galiza. A reserva verde. Carvalhos, castanheiros, faias, avelãzeiras. Uma paisagem de montanha que, devido ao seu difícil acesso no passado, conservou a beleza do autêntico. É território do lobo, do gato-montês, do javali, do cabrito-montês... E o último reduto do urso-pardo em terras galegas.

Habitadas desde a antiguidade mas isoladas durante séculos, estas terras oferecem paisagens que parecem de outros tempos, e povoações que parecem dos contos, como O Cebreiro, porta de entrada para a Galiza do Caminho de Santiago. N'Os Ancares ainda se conservam as palhoças, cabanas com o teto de palha onde, até há relativamente pouco tempo, conviviam pessoas e animais domésticos. Felizmente, hoje as palhoças são uma peça de museu. E uma deliciosa surpresa arquitetónica: a igreja do Hospital do Incio, a única igreja românica de mármore que há em Espanha.

Património

Existem em Ancares-Courel concentrações populacionais muito singulares da montanha de Lugo. Exemplos da vida tradicional destas comarcas são as aldeias como a de Froxán , em Folgoso do Courel, cuja arquitetura e construções populares, juntamente com a conservação das tradições e costumes a converteram em Bem de Interesse Cultural. Outra das relíquias etnográficas desta zona é a aldeia de Seceda , sita também no mesmo município, que é um verdadeiro museu vivente que se encontra muito perto do Castro da Torre de Sobredo , um dos melhor conservados da zona com um ambiente natural que o transforma numa joia etnográfica.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

O património relixioso destas terras faz surgir prodígios de pedra por entre a frondosa vegetação. Em Becerreá é obrigatório visitar a igreja de Santa María de Penamaior ; em O Incio, o templo paroquial de San Pedro Fiz do Hospital (única igreja românica em mármore da Península), em As Nogais, a igreja de Santo André , com interessantes pinturas murais.

Também a arquitetura fortificada tem representação no território. Admiráveis exemplos de construções defensivas são o castelo-fortaleza de Burón (em A Proba de Burón- A Fonsagrada), o castelo de Navia de Suarna e a torre de Doncos e a fortaleza de Torés em As Nogais.

Palco do domínio dos Condes de Trastámara, dos Condes de Altamira e também das revoltas Irmandiñas, este território da província de Lugo conserva ainda algumas mamoas ou medorras (túmulos), entre as quais uma das mais relevantes concentrações tumulares do noroeste peninsular é a necrópole de Santa Mariña , na confluência dos municípios de O Incio, Samos e Sarria. Também são relevantes os túmulos da freguesia de San Salvador em Negueira de Muñiz. Na zona também se conservam vestígios da época castreja e pré-romana, como as palhoças de Piornedo ou as do Cebreiro (convertidas algumas delas em museu etnográfico), e como a bela igreja de Santa María A Real do Cebreiro, o templo pré-romano mais antigo do Caminho Francês; assim como elementos patrimoniais do tempo da romanização.

O Alto do Cebreiro é o ponto de entrada do Caminho de Santiago em terras galegas e o cálice do milagre de O Cebreiro (que se conserva no santuário e que está vinculado à lenda do Santo Graal) faz parte do escudo da Galiza. O Caminho Francês continua o percurso de O Cebreiro a Triacastela, mas a rota não abandona este geodestino até descobrir um dos tesouros mais apreciados, o convento beneditino de Samos, considerado como um dos mais antigos do Ocidente e a singular capela do Salvador , também designada de cipreste pelo exemplar desta espécie que tem ao lado e que supera os mil anos de vida. Os peregrinos do Caminho Primitivo entram na Galiza pelo Porto do Acevo em A Fonsagrada. A tradição diz que o topónimo de Fonsagrada (fonte sagrada) tem a sua origem numa fonte que existia na vila vinculada a um milagre do Apóstolo Santiago, que foi atendido de modo hospitalar por uma pobre viúva e como agradecimento o Apóstolo converteu a água de uma fonte em leite fresco para os filhos da viúva. Trata-se de uma terra mágica, de lendas e contos, de milagres e maravilhas. O Caminho Primitivo abandona Ancares-Courel por terras do município de Baleira.

Espaços naturais

No que diz respeito aos espaços naturais deste geodestino, que é natureza em estado puro, é necessário salientar que Ancares-Courel tem a consideração de Lugar de Importância Comunitária na Rede Natura 2000, tanto pelo interesse geológico, como pela consideração de grande reserva verde da Galiza (Os Ancares são, além disso, ZEPA e Reserva Nacional de Caça, assim como Zona de Especial Proteção do Urso Pardo).

Estão incluídas, na citada rede de espaços naturais, várias zonas como as florestas de Carballido e de A Marronda, a área de Negueira com um relevo acidentado e com belos contrastes naturais e os inícios do rio Cabe. Também não há que esquecer o espazo Cruzul-Agüeira formado por florestas de azinheiras, carvalhos e castanheiros dependendo da altitude.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Neste geodestino há que nomear duas Reservas da Biosfera. Inclui a totalidade de Os Ancares de Lugo e montes de Navia, Cervantes e Becerreá e quatro dos municípios pertencem à de Rio Eo, Oscos e Terras de Burón.

A espetacular natureza de montanha do geodestino Ancares-Courel faz parte dos tesouros que a Galiza esconde para serem descobertos por viageiros curiosos. Ninguém melhor do que o poeta Uxío Novoneyra para desenhar com palavras o que é a sua terra natal:

 “Courel dous tesos cumes que ollan de lonxe!
Eiquí síntese ben ou pouco que é un home...
"

 “Courel dos altos cimos que contemplam de longe!
Aqui bem se sente o pouco que é um homem...
"

Festas e gastronomia

Entre as tradições populares desta terra destaca-se o Filandón de Músicas do Courel, que é Festa de Interesse Turístico da Galiza.

E entre as tradições gastronómicas da zona convém referir a deliciosa gastronomia da montanha, a flamante Denominação de Origem Protegida do Queijo do Cebreiro que é um produto de altíssima qualidade realizado com leite de vaca, totalmente natural sem conservantes nem aditivos.

DESTACADO: Palhoças e florestas

Situada a 1.200 metros de altitude, a aldeia de Piornedo, em plena Serra dos Ancares, constitui um dos tesouros etnográficos deste geodestino. O aspeto ancestral das catorze palhoças de pedra e teto vegetal leva o visitante à época pré-romana e descobre-lhe a Galiza mais autêntica que existe e a aldeia melhor conservada daquele tempo.

Também a natureza se conserva intacta nestas terras. A Devesa da Rogueira é a joia ecológica da serra do Courel, com 30 quilómetros quadrados de floresta primária e uma impressionante diversidade arbórea. Paisagens como o Avesedo de Donís e a floresta de azevinhos de Cabana Vella em Os Ancares caracterizam-se pela grande biodiversidade.

Arriba