O geodestino Lugo e a Terra Chá abrange os municípios de Abadín, Antas de Ulla, A Pastoriza, Baralla, Begonte, Castro de Rei, Castroverde, Cospeito, Friol, Guitiriz, Guntín, Láncara, Lugo, Meira, Monterroso, Muras, O Corgo, O Páramo, Outeiro de Rei, Palas de Rei, Pol, Rábade, Riotorto, Sarria, Vilalba e Xermade.

Esta é uma terra como não há igual. Em contraste com a típica paisagem galega, A Terra Chá é uma imensa planície, a maior da Galiza. Uma planície de prados sempre verdes sulcada por numerosos rios e lagoas. Como o Minho, que em vez de continuar para o mar, dá uma volta rodeando a cidade de Lugo. Talvez para admirar a Muralha Romana... Ou o famoso ambiente de petiscos do centro histórico.

Aqui abunda a água. Em elegantes balneários como os de Lugo e Guitiriz, ou em zonas húmidas de elevado valor ecológico como a lagoa de Cospeito, um local que, segundo a lenda, esconde uma cidade submergida por castigo divino, agora local de residência de lontras e patos-reais.

A Terra Chá é a terra de uma especialidade gastronómica: o queijo San Simon da Costa, fumado e elaborado artesanalmente durante todo o ano.

Património

Lugo e A Terra Chá são um geodestino que entesoura alguns dos mais relevantes vestígios históricos e artísticos da comunidade.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

O castro de Viladonga, a necrópole de Santa Mariña, as Termas romanas e a Muralha de Lugo (a muralha romana melhor conservada e declarada Património da Humanidade pela UNESCO), a Igreja de San Salvador de Vilar de Donas, o monumento arqueológico de Santa Eulalia ou Santalla de Bóveda, e os conventos como o de Santa María de Meira só são alguns exemplos do rico património monumental desta zona galega.

Outros exemplos notáveis de arquitetura religiosa são a catedral de Santa María em Lugo; a igreja de Santiago de Barbadelo; a igreja de San Salvador e o convento dos Mercedarios, em Sarria, a igreja de Vilabade em Castroverde, a igreja de Santa María de Guntín ou a igreja de San Miguel de Neira em Baralla.

Entre a arquitectura fortificada encontram-se numerosos exemplos como a Torre de Amarante en Antas de Ulla, a torre da menagem do castelo dos Andrade em Vilalba e o torreão da velha fortaleza de Sarria.

 

Espaços naturais

Dentro do espaço protexido Parga-Ladra-Támoga, o complexo húmido da Terra Chá, encontra-se a lagoa de Cospeito e perto (em Rábade) a lagoa de O Rei, são dois dos espaços naturais mais relevantes deste geodestino com observatórios ornitológicos.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

A Serra do Xistral, com os cavalos selvagens em liberdade, recebe o seu nome dos ventos frios e húmidos (em galego xistra) que barre os cimos. Amostra da grande riqueza ecológica que caracteriza este território é a Reserva da Biosfera Terras do Minho, cujas áreas recreativas e fluviais ajudam a desfrutar das belas paragens entre as quais rompe este rio.

Festas e gastronomia

A natureza também é generosa com os produtos nestas terras eminentemente agrárias e pecuárias, nas quais se cultivam deliciosos alimentos com Indicação Geográfica Protegida ou Denominação de Origem como a Batata da Galiza, os Grelos da Galiza, o Queijo de Arzúa-Ulloa e o Queijo de San Simón da Costa. Este último queijo é elaborado exclusivamente nas demarcações deste geodestino.

Entre as Festas de Interesse Turístico da Galiza, nas quais se pode participar ao longo do ano em Lugo e a Terra Chá, figuram a Festa da Malla de Meira, a Festa da Filloa em Muimenta, o Festival de Pardiñas em Guitiriz, o Arde Lucus en Lugo e a Feira de Santos em Monterroso. O San Froilán, As festas em honra ao padroeiro da capital da província, obtiveram em 2006 a declaração de Festa de Interesse Turístico Nacional.

DESTACADO: Santalla de Bóveda

O caráter único no ocidente europeu do templo de Santalla de Bóveda (situado muito perto da cidade de Lugo) deu origem a múltiplas interpretações sobre a finalidade original: lugar de banhos, ninfeo, templo dedicado a Prisciliano. Posteriormente foi reutilizado para usos cristãos e sob a advocação de Santa Eulália.

Devido à atipicidade das características, gerou múltiplas teorias relacionadas com a origem. Conserva o arco de ferradura considerado como o mais antigo que existe na arquitetura espanhola como elemento estrutural. Tanto pela qualidade da estrutura e impressionantes pinturas, como pelas especiais características e todas as controvérsias quanto à história que gerou nas últimas décadas, Santa Eulalia de Bóveda é um dos monumentos pré-românticos mais interessantes que chegou até nós.

Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba