Corunha e as Mariñas abrangem os municípios da Corunha, Arteixo, Culleredo, Oleiros, Sada, Cambre, Carral, Cesuras, Bergondo, Agegondo, Betanzos, Paderne, Miño, Coirós, Oza dos Ríos, Irixoa e Aranga.

Na cidade da Corunha é imprescindível uma visita à Torre de Hércules, Património da Humanidade. Depois, nada como uma visita às suas maravilhosas galerias de cristal, e aos seus museus científicos ou viver o animado ambiente das suas ruas.

Betanzos é perfeita para um passeio entre monumentos e casas senhoriais e depois tem de se provar a sua deliciosa tortilha de batatas. Em Cambre, encontra-se uma joia oculta, a igreja românica de Santa María; e também um dos espaços mágicos da Galiza, o bosque de Cecebre, cenário da novela e do filme “O bosque animado”. Em Sada, nada como tomar um café em "A Terraza", um espetacular edifício modernista. Em Bergondo, o Paço de Mariñán e os seus famosos jardins à beira-mar, entre os quais destacam o jardim francês e o das camélias. Em Arteixo, a praia de Barrañán, a preferida por nudistas e surfistas.

Património

O espaço articula-se em torno à cidade de A Corunha, que também é capital da província. Este geodestino esconde potentes reclamos turísticos: ter o farol mais antigo do mundo em funcionamento (a Torre de Hércules); um dos passeios marítimos mais compridos da Europa (o de A Corunha); um dos maiores castros da Galiza setentrional (o Castro de Elviña); o som do mar mais belo do mundo segundo o concurso internacional organizado pela cidade polaca de Slupsk (o do mar e as gaivotas da praia de O Orzán); o primeiro parque temático do Ocidente (o Parque do Passatempo en Betanzos).

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

A Corunha é um dos portos de entrada dos peregrinos que percorrem o Caminho Inglés. A rota atravessa neste geodestino os municípios do Miño, Paderne, Betanzos e Abegondo na variante proveniente de Ferrol e os municípios de A Corunha, Culleredo, Cambre e Carral na variante que começa no porto corunhês.

A ampla oferta turística da cidade de A Corunha dificulta a tarefa de escolher recursos para recomendar aos visitantes. Desde o Monte de San Pedro ao jardim romântico de San Carlos (com a arca fúnebre do General Sir John Moore); desde a igreja de Santiago no Caminho Inglês até às de Santa María do Campo ou San Xurxo; desde a Cidade Velha ao castelo de San Antón passando pela ampla oferta museológica como a Casa das Ciências, o Museu de Belas Artes ou a Domus e a Casa dos Peixes, sem esquecer a Torre de Hércules, o flamante Património da Humanidade da UNESCO, todos constituem um motivo único para não deixar de passar a oportunidade de submergir-se nos segredos da cidade herculeana.

Mais tamén no resto dos concellos que compoñen A Coruña e As Mariñas se poden descubrir lugares incribles, cheos de historia, de tradición, de beleza e de natureza intacta. Castros como os de Alvedro en Culleredo, o das Flores en Coirós, o de Samoedo en Sada, ou os de Vilar de Corna ou Baiuca en Cesuras ou os megálitos do Xalo en Carral, son o legado dos antigos habitantes destas terras que sobrevive na paisaxe das Mariñas.

A arquitectura relixiosa da zona atesoura importantes construcións que, en boa parte, forman parte do inventario de Bens de Interese Cultural. Tal é o caso de igrexas como as de Santa María de Azogue e San Francisco en Betanzos, a igrexa do antigo mosteiro de San Nicolao de Cis en Oza dos Ríos ou a igrexa de Santa María de Dexo en Oleiros. Outros monumentos de gran relevancia na zona son Santa María de Cambre (unha auténtica xoia do románico galego), a igrexa de Santiago do Burgo en Culleredo, o convento de San Salvador en Bergondo, as igrexas de San Paio e San Pedro en Aranga e a igrexa oxival de Santiago en Betanzos.

Entre a arquitectura civil paga a pena coñecer o Edificio A Terraza en Sada, o Pazo de Anceis en Cambre, a ponte medieval do Burgo entre Cambre e Culleredo, o Pazo de Figueroa en Abegondo ou a ponte medieval sobre o río Baxoi en Miño. O Pazo de Mariñán (en Bergondo), dentro da ruta da camelia, está situado xunto ás marismas de Betanzos ás que se asoma desde os seus xardíns.

Espaços naturais

Corunha e As Mariñas é um destino no qual a natureza brota para aconchegar o visitante com paragens únicas.As margens do Mero e a barragem de Cecebre, em Cambre, ou o Bosque dos Veciños, em Oleiros, a paisagem pitoresca de A Espenuca e o miradouro natural da passagem do rio Mandeo, em Coirós, a paragem pitoresca do lugar de Chelo entre Coirós e Paderne, ou a natureza exuberante e idónea para a prática da caça e da pesca desportiva de Irixoa são exemplos destes mimos da natureza. 

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Do farol de Mera, varanda privilegiada do monumento natural da Costa de Dexo (no município de Oleiros), podem observar-se as entradas das três rias do golfo Ártabro (Corunha, Ares-Betanzos e Ferrol). Também sob proteção, encontra-se a confluência dos rios Mendo e Mandeo e o espaço natural do Encoro de Abegondo-Cecebre, que abrange um espaço que ultrapassa a própria barragem e que se prolonga a montante dos rios Mero e Barcés.

Festas e gastronomia

No tocante às Indicações Geográficas Protegidas existentes na zona é preciso falar dos Vinhos da Terra deBetanzos, que compreendem os vinhos de mesa com origem nas zonas vitícolas dos municípios de Bergondo, Betanzos, Coirós, Miño, Paderne, Abegondo, Oza dos Ríos e Sada.

Corunha e As Mariñas oferecem também aos visitantes a possibilidade de usufruir das suas festas populares, que são muito numerosas e de entre as quais destacamos as que têm a declaração de Festa de Interesse Turístico da Galiza, como a de San Roque em Sada e a de San Roque em Betanzos, bem como a Festa de Interesse Turístico Nacional das Fogueiras de San Xoán na Corunha.

DESTAQUE: Betanzos e Paço de Marinhán

Guardado pelos rios Mendo e Mandeo, o centro histórico de Betanzos constitui um dos mais belos centros monumentais da Galiza.Nalguma época, foi uma cidade amuralhada e conserva hoje belas mostras de arquitetura popular com pórticos de tradição medieval.Nas suas recolhidas ruas com as tradicionais varandas e galerias percebe-se o esplendor da que foi, em tempos, uma das antigas províncias do Reino da Galiza. 

Muito perto de Betanzos, no município de Bergondo, ergue-se o majestoso Pazo de Mariñán – declarado em 1972 Conjunto Histórico-Artístico – com o seu jardim de estilo francês de grande variedade botânica.Bananeiras com mais de 50 metros de altura, eucaliptos centenares, ciprestes de Plátanos, choupos-negros e coloridas camélias decoram esta joia arquitetónica que alberga também o chamado Jardim de la Palabra, onde cada árvore conserva junto ao seu pé a mensagem de alguns ilustres visitantes, a maior parte poetas, que o plantaram. 

Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba