ESTEIRO DO TAMBRE

Espaços naturais
1971
No Caminho de Santiago

Posição

A Coruña

Brión | Negreira | Noia | Outes | Porto do Son

Coordenadas:
42º 49' 01.4" N - 8º 53' 29.1" W

Descrição

A Arca de Noé com pomba e oliveira no pico representam no escudo municipal de Noia a fundação lendária. É a cabeceira de uma ria onde confluem com o Tambre numerosos rios de menor percurso como o Traba, que atravessa a ponte de Noia. Entre todos constituem um complexo sistema estuário, apenas navegável com a maré alta, onde as paisagens campestres convivem com os marinheiros. Três quartas partes do espaço protegido pertencem a este habitat marítimo-terrestre até ao porto do Freixo (Outes) de um lado, e a praia de Boa Grande, do outro.
A desembocadura do Tambre pode contemplar-se desviando-se pela estrada velha em Ponte Nafonso, com vinte arcos, um por cada ano que demorou a sua construção no século XIV e o último está um pouco torto segundo o ditado popular. A povoação entre junqueiras rodeada de elevações arvoradas transmite toda a serenidade da paisagem. Existem numerosos passeios e miradouros como o do monte Tremuzo (514 m).
O curso fluvial do Tambre merece uma visita. Os últimos três quilómetros discorrem numa pronunciada garganta num paredão de granito entre os lugares de Lueiro (Negreira) e Cornada-A Graña (Brión). Um excelente lugar de partida é o edifício histórico da central hidroeléctrica Tambre I, desenhado pelo arquitecto galego Antonio Palacios. Desde a área de recreio e a ponte suspensa, com vistas às antigas “pesqueiras” de lampreia (muros de pedra construídos para a pesca da lampreia), um trilho conduz entre florestas autóctones até à Devesa de Nimo.

Caminhos de Santiago

Caminho de Finisterra

Situação

Curso baixo e desembocadura do rio Tambre na ria de Muros e Noia. Municípios de Brión, Negreira, Noia, Outes, Porto do Son (A Coruña).

Superfície

1.582,61 ha.

Servizos

Alojamento: Sim.
Refeições: Sim.
Natureza Espaços naturais ZEC - Rede natura 2000
Arriba