RÍA DE AROUSA

Rias e praias
562

Posição

Coordenadas:
42º 34' 14.4" N - 8º 53' 12.4" W

Descrição

A ria de Arousa é a mais extensa das Rias Baixas. A sua boca abre-se entre as pontas Covasa, ao Norte, e San Vicente, ao Sul. Mais rectangular que as suas vizinhas, devido à sua origem de bloco fundido, oferece formas contrastadas. A Norte é limitada de forma nítida pela Serra do Barbanza; e pelo Sul aparece rodeada pelas suaves terras planas de O Salnés.
No seu interior são numerosas as ilhas e ilhotes de uma extraordinária beleza, destacando-se a Ilha de Sálvora à sua entrada, a Ilha de Arousa no sector central e a de Cortegada ao fundo, em contacto com a boca do rio Ulla, por terras de Carril. Esta última foi doada no início do século XX para ser residência do rei Alfonso XIII.

O perfil sinuoso de Arousa propicia a existência de um grande número de enseadas e de penínsulas que favoreceram o assentamento de numerosas vilas piscatórias como Aguiño, Ribeira, A Pobra do Caramiñal, Boiro e Rianxo, na vertente Norte e Carril, Vilagarcía, Vilaxoán, Vilanova, Cambados e O Grove, a Sul. Na confluência com o rio Ulla, Catoira e no centro da ria a vila da Ilha de Arousa.

Encontramo-nos numa área em que a beleza natural se combina com o desenvolvimento económico, embora nem sempre em harmonia com a arte e com a tradição. Do primeiro são exemplo as suas ilhas, as suas numerosas praias, as serras do seu entorno, como a de O Barbanza, ou os tramos inferiores dos rios que desembocam na ria, como o de As Pedras, o Ulla ou o Umia, sem nos esquecermos no maravilhoso complexo de lagoas e dunas de Corrubedo, actualmente Parque Natural, que se encontra na Península que separa as rias de Arousa e Muros-Noia.
A amplitude da ria de Arousa fez com que esta fosse, desde a antiguidade, uma via aberta para as invasões, como o demonstram as Torres de Oeste, em Catoira, levantadas para a defesa do rio Ulla do ataque dos normandos e dos árabes, mas também para o comércio.

Do ponto de vista económico é interessante destacar que a riqueza de Arousa não se reduz ao sector marisqueiro, à pesca, à aquacultura ou à indústria conserveira. É também de grande importância o sector vinícola, em que se destaca o Albariño, sem dúvida um dos melhores vinhos brancos do mundo.
Primeiro Carril e, mais tarde, Vilagarcía de Arousa, foram localidades que conheceram um desenvolvimento económico extraordinário, uma vez que assumiram as funções de portos das terras de Santiago. Vilanova de Arousa e Cambados, na mesma ribeira, mais a Sul, junto com Rianxo, Boiro, A Pobra do Caramiñal e Ribeira, situadas a Norte, desenvolveram-se mais recentemente.
Vilagarcía de Arousa é um importante porto comercial e pesqueiro com uma extraordinária actividade económica, que veio substituir Carril no papel promotor que esta localidade tinha exercido até ao século XIX. É o centro nevrálgico da comarca do Salnés, famosa pelo seu vinho com denominação de origem Rias Baixas.
Em O Salnés destaca-se ainda Cambados, vila senhorial na qual se podem apreciar casas brasonadas e a extraordinária praça de Fefiñáns, ladeada pelo paço dos Figueroa e pela igreja de San Benito, do século XVI. Trata-se de um lugar que se recomenda percorrer a pé para que o viajante o possa admirar com a merecida atenção. É também considerada a capital do Albariño.
Situada na ribeira Norte, A Pobra do Caramiñal é uma vila senhorial com casas brasonadas e castelos, como as Torres da Xunqueira. Sobre a vila paira a sombra imortal de Valle-Inclán, que tanto a cantou nas suas obras.
Na mesma ribeira, encontramos Santa Uxía de Ribeira, cidade com um extraordinário desenvolvimento económico, baseado no sector da pesca. No seu interior conserva ainda alguns restos da velha vila piscatória, e muito perto encontra-se o Parque Natural das Dunas de Corrubedo.

No Parque Natural de Corrubedo é possível observar a combinação de diferentes elementos.
Junto ao mar a extensa praia, em que sobressaem algumas formações graníticas. Se caminharmos para o interior encontraremos em primeiro lugar um sistema de dunas fixado pela vegetação em que se destacam as formas de pináculo; depois, um amplo corredor intra-dunar e a seguir a duna móvel que, com um quilómetro de comprimento e uns vinte metros de altura, se move ritmicamente empurrada pelos ventos de sudoeste e de nordeste. Este jogo de ventos faz com que a sua mobilidade se veja circunscrita a um espaço concreto sem que se produzam grandes deslocações.
Passada a duna móvel, estende-se, de um lado, um amplo manto eólico e para o nordeste a área hidromórfica da Lagoa de Carregal que, junto com a de Vixán, situada um pouco mais ao Sul, se convertem em lugares de grande interesse no que respeita à sua fauna, em especial à ornitologia.
Arriba