Visualizacion: intro
Plantilla: miradoiros

MAR INIFINITO

De Baiona a Santa Trega...
a costa sul
Néboa na Groba,
nordeste afora.
Ditado popular

A rota ao longo da costa sul da Galícia permite viajar ao longo de um trecho costeiro único, sem os estuários, enseadas e recortes habituais. A estrada entre Baiona e A Guarda é um dos mais belos roteiros paisagísticos da costa galega: uma longa linha reta para a orelha de mar que desce de norte a sul na companhia da surpreendente serra de A Groba.

Descarga a ruta
Baiona e a fortaleza de Monterreal

Baiona é a saída do passeio. Povoado marinho e turístico, seu bom clima e a proteção em sua pequena enseada permitiram o estabelecimento da população desde os tempos antigos. Com uma orla cuidadosa, seu centro histórico foi declarado Conjunto Histórico-Artístico em 1993.

A fortaleza de Monterreal é a referência patrimonial da vila. Sua localização no Monte Boi, uma pequena península ao lado do porto, define o litoral baionés. Sua posição estratégica era historicamente relevante, sendo um recinto amuralhado desde o século II a.C. Os Reis Católicos concederam uma Carta de População ao local, iniciando um período de esplendor comercial que gradualmente perdeu importância até ser desabitado no século XIX.

O conjunto do Monterreal possui vários vestígios e edifícios, destacando as portas de acesso à fortificação e as torres (Porta do Sol, Príncipe, Tenaza e Reloxo) e o antigo Pazo de Elduayen do século XIX foi extensivamente modificado nos anos sessenta para para abrigar o atual Parador de Turismo.

De Baiona a cabo Silleiro

Saindo de Baiona, a primeira parada é o Cabo Silleiro, onde o litoral muda definitivamente para uma disposição norte-sul. Nesse ponto, se destaca a densidade de elementos de interesse: baterias militares, mirantes e faróis.

O antigo farol de Silleiro (1866), próximo ao mar e de baixa altitude, foi substituído pelo chamado farol novo de Silleiro, torre octogonal com listras brancas e vermelhas que datam de 1924. O ambiente do cabo é espetacular: mar aberto, vista para as Ilhas Cíes e um penhasco contínuo que parece emergir do mar até o topo das montanhas.

De Cape Silleiro a Oia
Groba

De Silleiro começa a longa reta da costa sul. Com o mar sempre à nossa direita, a serra de A Groba emerge com força do nosso lado esquerdo até chegar a 654 metros no Alto da Groba. A rota é um mirante contínuo em direção ao infinito azul do mar e ao verde da montanha. Às vezes não se sabe onde a terra termina e o mar começa que, nos dias de vento, a estrada fica molhada.

Entre Mougás e Oia, as montanhas dão um respiro ao mar, deixando um espaço em relação à costa que é usado para o cultivo em pequenas parcelas irregulares e delimitadas por pedras e usadas em uma encosta através de um terraço.

Oia

Oia é um canto da costa. Pequeno núcleo adaptado ao litoral, possui ruas estreitas e um píer anexado ao seu majestoso mosteiro. O sol brilha de frente nas últimas horas da tarde e a fachada de Santa María resplandece.

De Oia á Guarda

A Guarda é o extremo sudoeste da Galícia. Cidade de cores e mar, as casas do porto mantêm a estrutura marinha, mas ganham altura com o passar dos anos. O espírito sobrevive e a memória é preservada. Um passeio marítimo e um grande quebra-mar, que encolhe quando o Atlântico ruge. A espuma se acumula contra a parede do porto e sai voando. O mar pelos ares de A Guarda.

Monte e castro de Santa Trega
Tegra

Santa Trega é um monte mítico.

Observando a cidade de A Guarda a mais de 340 metros de altitude, sobe repentinamente e isolado no ápice que geram o Oceano Atlântico e o rio Miño, na sua foz. Ponto estratégico ocupado desde os tempos antigos, os vários vestígios mostram a antiga relevância do local: dos petroglifos ao eremitério de Santa Trega que dá seu nome passando pelo castro, um dos mais visitados da Galícia.

A Citania de Santa Trega é um grande sítio arqueológico da cultura castrexa, que atinge seu auge no primeiro século I a.C. Os inúmeros edifícios mostram a magnitude que a cidade alcançou, devido à sua posição estratégica e relevância econômica, predominando as construções circulares, mas permitindo que a influência romana seja sentida com a presença de outras de planta retangular e nas muralhas defensivas. O castro foi declarado Monumento Histórico-Artístico em 1931 e também é Bien de Interés Cultural.

No topo do monte a paisagem emociona com 360 graus de vistas panorâmicas: ao norte A Guarda e a serra de A Groba, a leste O Baixo Miño, ao sul Portugal e a oeste o Atlântico, imenso.

Você não pode perder

Mosteiro de Oia

O mosteiro de Santa María de Oia é um antigo mosteiro de origem incerta. Poderia ser uma fundação antiga por parte de San Martiño de Dumio, evangelisador cristão e bispo de Braga, considerado o apóstolo dos suevos no século VI.

Mosteiro beneditino, no século XII passa para a ordem do Císter. Comunidade estabelecida em terras remotas e pouco desenvolvida, a atividade do mosteiro estava mudando a paisagem e a economia do ambiente com a introdução de cultivos e espécies animais (a vinha e os cavalos em O Baixo Miño lhes são atribuídos).

Do ponto de vista arquitetônico, a igreja medieval se destaca do resto do conjunto. Em uma localização única, perfeitamente integrada à paisagem costeira de Oia, a fachada enfrenta o mar em um caso único entre os mosteiros do Císter. Os restos de um antigo píer confirmam a vocação marítima e pesqueira dos monges.

Declarado Monumento Nacional (Bien de Interés Cultural, na verdade) em 1931, espera por uma necessária intervenção que restaure toda a sua beleza.

Arriba
Ajude-nos a melhorar!