Paços e jardins

Belas e enigmáticas, as camélias chegaram do Oriente pelas mãos dos navegantes portugueses e a Galiza foi um dos primeiros locais da Europa a dar-lhes as boas-vindas, de maneira que já desde o início do século XIX que alegram os jardins mais requintados. De facto, aqui encontram-se tão à vontade que agora as camélias são galegas... E reservadas.

 

Se quiser descobrir os seus segredos, terá de se adentrar no seu ambiente, na Rota da Camélia. Um sugestivo percurso do norte ao sul da Galiza através de 12 paços e jardins, públicos e privados, onde a camélia reina em todo o seu esplendor. Cerca de 8000 variedades em jardins vinculados ao património histórico da Galiza, tais como o Paço Quiñones de León, com uma camélia cuja copa mede mais de 15 m de diâmetro, ou os exemplares de “camelia reticulata” dos Paços de Oca e Santa Cruz de Ribadulla, talvez os mais antigos da Europa. 

Paços e paisagens de uma elegante decadência, autênticos jardins botânicos criados com esmero e sabedoria que, se os soubermos ver, nos revelam os seus segredos de beleza.

Arriba