O INVERNADEIRO

Espaços naturais
1510
No Caminho de Santiago

Posição

Vilariño de Conso - Ourense

Coordenadas:
42º 07' 59.6" N - 7º 19' 28.2" W

Descrição

Lição de montanha
Não existem núcleos de povoamento humano dentro dos limites do Invernadeiro. Tudo é natureza. A história remonta há anos, sempre como propriedade não dividida desde a Idade Média, dedicada na altura à pastagem e à caça. Em meados do século passado converteu-se numa zona autorizada de repovoações florestais até que em 1981 sofreu um incêndio e mudou o seu destino. Das cinzas renasceu com uma aposta pela recuperação ambiental que se consolidou definitivamente no Verão de 1997 com a declaração como Parque Natural. Na actualidade, é uma das melhores salas da natureza da comunidade para conhecer com intensidade a vida do Maciço Central de Ourense.
As velhas montanhas galaicas, que superam nos limites do Parque os 1.500 metros de altitude, combinam o encanto agreste da rocha com a suavidade dos grandes volumes arredondados. São as serras propícias para abrigar grande parte da vida selvagem representada principalmente pelo lobo e as presas corço e javali. Os rios, tal como nos tempos primitivos os glaciares, vivem neste espaço o grande momento da montanha. Os leitos gémeos Ribeira Grande e Ribeira Pequena dão o ritmo fluvial.

Acesso

Ao Parque desde Verín pela estrada municipal OU-114 de Laza, e depois ir pelo desvio a Campobecerros. Para o Maciço Central, pelo norte, a estrada C-536 com desvios em O Castro de Caldelas ou em A Pobra de Trives para chegar a Manzaneda. Para o Canhão do Bibei, pelo Este, estrada C-533 Petín-A Gudiña e desvio ao santuário das Ermidas.

Caminhos de Santiago

Vía de la Plata

Situação

Parque Natural, integramente no município de Vilariño de Conso.
O Maciço Central alcança a área montanhosa das comarcas centrais de Ourense, nos municípios de O Bolo, Chandrexa de Queixa, Laza, Manzaneda, A Pobra de Trives, Viana do Bolo, Vilariño de Conso, Quiroga, Larouco e Montederramo.
O Bidueiral estende-se entre os municípios de Montederramo e Vilar de Barrio.

Superfície

5.722 ha. SIC: 46.829,43 ha. SIC “Bidueiral de Montederramo” 1.948,55 ha.

Servizos

Alojamento e refeições nas localidades dentro dos Sítios de Importância Comunitária Maciço Central.

A não perder

É necessário pedir com antecedência a autorização de acesso e efectuar todos os percursos a pé pelas rotas marcadas. As visitas para grupos realizam-se a partir de um mínimo de cinco pessoas. É amplamente recomendável para grupos escolares e colectivos a Sala da Natureza de Ribeira Grande e as actividades. Oferece uma experiência única, isolados na natureza percorrendo os grandes terrenos de caça do lobo. Alguma destas rotas permite observar um surpreendente circo glaciar e várias cascatas como a de Arcos.
Na Ribeira Pequena destaca-se a rota das cercas que nos aproxima aos espaços dos cervos e outros ungulados em semiliberdade. São precisamente cervos, cabras montesas, gamos, camurças e muflões as estrelas do Parque. Habitam em espaços cercados que facilitam o controlo das povoações e as vistas são uma das experiências de mais grata recordação dos visitantes.

Maciço Central
O Invernadeiro é o coração de uma vasta zona montanhosa quase despovoada. As maiores elevações encontram-se na serra de Queixa, que ostenta o ponto mais alto na estação de montanha de Manzaneda (1.782 m), e na serra de San Mamede (1.619 m). Registam-se abundantes precipitações em forma de chuva e neve, mas também importantes períodos sazonais de seca.
Desde A Proba de Trives podemos subir até à estação invernal de Manzaneda com múltiplas opções turísticas, visto que a sua actividade não só se limita à temporada de esqui. É o ponto de partida de vários trilhos à procura da antiga actividade glaciar da montanha. Também podemos optar por continuar até Celeiros, capital municipal de Chandrexa de Queixa.
Na outra vertente do maciço, há duas possibilidades. Por um lado, no município de Vilariño de Conso, os enclaves de Pradoalbar, onde o rio enche o vale de grande beleza, e Chaguazoso, onde veremos um admirável glaciar moreno e a cascata do rio Cenza.

Natureza senlleira

Excelente recuperação do estrato arbóreo e dos pinhais. Ao abrigo de abruptos sopés conservam-se florestas maduras de carácter autóctone.
Excelente representação arbustiva de média montanha. A fauna apresenta a pirâmide trófica completa.
Bioindicadores da saúde dos ecossistemas fluviais como a lontra e outras espécies ainda mais escassas a nível ibérico.

Información e equipamentos

Para visitar el Parque Natural, permiso expedido por escrito por la Consel. Medio Rural de Ourense
Telefone: +34 988 386 029
Centro de Recepción
Telefone: +34 988 386 376
Fax: +34 988 386 135

Outras características

Observação de pássaros

Plano

Arriba