A D.O. Monterrei atópase situada ao suleste da provincia de Ourense, lindando coa fronteira de Portugal. Esta zona basea o seu atractivo turístico principalmente na riqueza do seu patrimonio arquitectónico e na beleza da súa paisaxe.

Rota do Vinho Monterrei
Rúa Mercado Comarcal, 1
32600 Verín Ourense
TM: 616 847 889
www.rutadelvinomonterrei.com
info@rutadelvinomonterrei.com

Un dos seus monumentos máis emblemáticos e coñecidos -distintivo da D.O.- é o Castelo dos Condes de Monterrei, do século XII, hoxe monumento nacional. Neste castelo instalouse a primeira imprenta de Galicia e no seu patio de armas atópase o denominado pozo verde, rodeado de lendas de infidelidades e suicidios como o da esposa de D. Pedro O Cruel.

Um dos seus monumentos mais emblemáticos e mais conhecidos – distintivo da D.O. – é o Castelo dos Condes de Monterrei, do século XII, hoje em dia monumento nacional. Neste castelo, instalou-se a primeira imprensa da Galiza e no seu pátio de armas encontra-se o denominado poço verde, rodeado de lendas de infidelidades e suicídios, como o da esposa de D. Pedro o Cruel.

A Rota da Prata atravessa esta D.O.; seguindo este Caminho de Santiago encontramos a vila de Verín, célebre pelo Entrudo (carnaval), encontro obrigatório dentro do panorama cultural e turístico da Galiza. Trata-se de um costume ancestral que surpreende o visitante, que cedo passa de espetador a participar em cheio neste grande evento popular.

Em Verín, podemos visitar o tradicional bairro de San Lázaro, a Casa do Assistente, com o seu singular escudo, e passeando pelas ruas da zona histórica tiraremos proveito de outros monumentos e de edifícios de estilo modernista... De igual forma, poderemos ir às antigas estâncias termais espalhadas pelo território, hoje dedicadas à produção de água mineromedicinal de reconhecida reputação.

Produção, história, variedades

A zona de produção está constituída pelos municípios de Monterrei, Oímbra, Verín, Castrelo do Val, Riós e Vilardevós, estabelecendo-se duas subzonas: o Vale e a Ladeira de Monterrei. Esta diferenciação é resultado de uma grande variedade de solos e orientações que, ligada aos microclimas gerados nas encostas, produzem uns vinhos com características muito diferenciadas, pessoais e com grande complexidade aromática.

Seguindo o devir histórico, podemos afirmar que os romanos introduziram em Monterrei o cultivo da videira que, posteriormente e guiados pelas ordens religiosas, se espalhou pela comarca. O vinho era usado como tributo para pagar aos mosteiros e senhores feudais. Após diversas vicissitudes que se traduziram na perda da importância da viticultura, hoje em dia, a aposta pelos vinhos de qualidade, entre outros aspetos, está a levar ao ressurgimento da comarca.

Entre as variedades de uvas brancas, encontramos as autóctones Doña Blanca, Godello, que também é conhecida por Verdello, e Treixadura. Nas tintas, destacam Mencía, Merenzao e outras aclimatadas à zona, como a Arauxa (tempranillo) e a Grenache Tintorera. Os tipos de vinho que são elaborados são fundamentalmente os brancos, que são frescos, muito agradáveis e afrutados, com um excelente equilíbrio entre álcool e acidez, bem estruturados e gulosos. Entre os tintos, destacam os jovens com a sua grande viveza aromática, frutados, com corpo e muito expressivos aos quais, pouco a pouco, se acrescentam elaborações mais exclusivas com grande complexidade e longevidade.

Arriba