Turgalicia Turismo de Galicia

Xunta de Galicia

Descubra os meus segredos...

  • O país do Ocidente...
  • Onde o mar começa...
  • Terra humanizada...
  • Cidades...
  • Território milenar...
  • O caminho...
  • Tradição...
O Courel
O Courel
Dizem-me: A Galiza é muito pequena. Eu respondo: A Galiza é um mundo... Pode ser pequena em extensão; em profundidade, em entidade, é tão grande como quisermos...Vicente Risco (1884-1963), escritor
A Galiza tem uma extensão parecida à da Bélgica, do estado de Massachusetts (EUA), da República de El Salvador, de Taiwan ou de Israel
Tradicións
Sabucedo
Quando soa a gaita, um ar antigo enche as terras e os corações da Galiza, algum ancião dita os ritos e a tradição renova-se. Corpo a corpo com os cavalos selvagens, ou adornados com máscaras ancestrais, a festa começa sempre na ponta do pé.
O carnaval é uma das festas tradicionais mais importantes do calendário galego, contando-se mais de 4000 festas locais e um repertório infindável de romarias e celebrações gastronómicas.
Xente
Rúas nas cidades galegas
Os nossos avós partiram do campo. Em 1900, só 10% da população vivia nas cidades; hoje em dia, quase metade dos galegos habitam as grandes urbes. É este o palco da criatividade económica e cultural.
O ano chave deste ressurgir é 1863, ano em que Rosalía de Castro publica Cantares Gallegos, um livro de poemas em língua galega, que dá origem ao Ressurgimento cultural e político. Na imagem, escultura na Real Academia Galega.
Pontevedra
Pontevedra
A antiga ponte romana dá-lhe o nome. Daqui partem os barcos com rumo aos portos da Europa; na foz do rio Lérez, marinheiros e comerciantes constroem a Pontevedra medieval. Administrativa e comercial, a cidade soube cultivar o prodígio e a pedra ainda floresce à sombra das camélias.
Illas Cies
As Illas Cíes protexen a ría de Vigo
Encheram-nos o copo / com toda a água do mar / para compor um cocktail de horizontes.Manuel Antonio (1900-1929), escritor
A pesca desembarcada na Galiza representa 60% da pesca total de Espanha. O antigo poeta romano Marcial cantou em latim as excelências dos peixes e mariscos do "Oceano Galaico".
Ribadulla
Paço de Santa Cruz de Ribadulla
A Galiza tem 3781 paróquias, as unidades básicas de povoação galegas, que agrupam vários lugares em redor de uma igreja. A administração é gerida por 314 câmaras municipais e o território é composto por 53 comarcas distribuídas em quatro províncias.
Ocupando apenas 6% da superfície de Espanha, A Galiza conta com mais de metade das localidades do país; atualmente, são 29.985, sendo que algumas têm apenas uma casa.
Ortigueira
Praias da Ria de Ortigueira
O litoral galego estende-se ao longo de 1498 km de costa
O jornal britânico The Guardian elegeu a praia de Rodas, nas ilhas Cíes, como a melhor praia do mundo.
Muralla Romana
Muralha romana, Lugo
Foi um antepassado daquele Brutus que matou César, o primeiro general romano que chegou a esta região. No ano 137 antes de Cristo, os galaicos, o primeiro povo que faz frente aos invasores, dá o seu nome a toda a terra dos castros. Passados quatrocentos anos, o imperador Caracalla cria a província da Gallaecia (Galiza).
A muralha romana de Lugo foi declarada Património da Humanidade no ano 2000. São mais de dois quilómetros de perímetro que rodeiam o centro histórico da cidade desde finais do século III depois de Cristo.
Terra Cha
Pradeiros na Terra Chã
Esta é uma paisagem que os galegos gostam de chamar de humanizada, com uma casa aqui e outra acolá, onde a distância entre os lugares nunca é excessiva e os espaços inabitados são sempre de pouca extensão. Nas paragens mais recônditas, a fraga, os bosques antigos e misteriosos.Rosalía de Castro (1837-1885), escritora
A terra coberta em todas as estações de ervas e flores; os montes cheios de pinheiros, de carvalhos e salgueiros; os ventos ligeiros que passam; as fontes e as torrentes que se derramam alegres e cristalinas, verão ou inverno, pelos risonhos campos, ou pelos profundos e sombrios talvegues...-Rosalía de Castro (1837-1885), escritora
Canón do Sil
Garganta do Sil
A rocha granítica domina na Galiza. As suas formas suaves, opulentas, muitas vezes em avançado estado de senilidade, compõem as grandes paisagens e os pequenos detalhes. São de granito os paços, os templos românicos e as moradias campestres.Otero Pedrayo (1888-1976). Escritor
A vegetação marca a paisagem e os espaços naturais protegidos constituem 12% do território da região. A Galiza conta com um Parque Nacional, seis Parques Naturais e muitas outras paragens protegidas com medidas de conservação. A massa florestal proporciona 49% do total de madeira de Espanha.
Ribeiro
Vinhedos em Beade, O Ribeiro
A paisagem galega que contemplamos foi criada pacientemente, tenazmente, por gerações e gerações de galegos com o seu trabalho, com as suas mãos.Ramón Piñeiro (1913-1990) Escritor
Um vinho e também uma terra, ao som de um campanário distante, uma festa, o falar das gentes que vindimam e também as suas canções. O vinho é também parte da expressão cultural de um país.-Álvaro Cunqueiro (1911-1981) Escritor
Ourense
Ourense
As ninfas guardam o santuário termal. A via romana ladeia o rio Minho pela ponte de pedra. Na encruzilhada surge a vida. Episcopal e burguesa na época medieval, capital de província no século XIX, hoje é a cidade que marca a moda galega e a indústria agroalimentar.
Santiago
Santiago de Compostela
Foi a primeira, floresceu cem anos antes, a cidade de Santiago de Compostela surge da força de um mito, um santo galego que conquista a Europa Medieval. Monumental, cabeça do reino, a sua localização e peso histórico fizeram desta cidade a capital da Galiza.
A Coruña
A Coruña
Porto romano na rota da Britânia, rocha atlântica, quase ilha, a Corunha navega desde sempre com o impulso económico do mar. Cidade administrativa, comercial e empreendedora, aqui surge o fast-fashion-system que hoje rege o mercado mundial da moda.
Ferrol
Ferrol
Desperta da Idade Média no século XVIII; na vila piscatória de Ferrol, os ilustrados traçam novas ruas com a força da razão. O Arsenal Real faz nascer uma cidade industrial na ria mais protegida da Galiza.
Lugo
Lugo
Todos os caminhos levam a Lugo, ao bosque sagrado onde Augusto fundou a capital romana dos galaicos. A muralha imperial ainda restringe as ruas que centram a atividade dos seus orgulhosos horizontes agrários.
Teixido
Santo André de Teixido
Enfrentados a este mar bravo, enfrentados ao oceano Atlântico, os galegos sentem toda a Europa nas suas costas.
As falésias mais altas da Europa continental encontram-se em Santo André de Teixido, Cedeira, e atingem 620 m de altura.
Vieira
A vieira, o sinal da viaxe
Desde o século IX, os peregrinos andam pelos caminhos da Europa em direção a Compostela. No século XII, calculam-se em quinhentos mil; no último ano do século XX, chegaram à cidade dez milhões de pessoas.
Hoje, os motivos de peregrinação são diversos, dos espirituais aos artísticos. O Conselho da Europa declarou o Caminho como o Primeiro Itinerário Cultural Europeu (1987).
Vigo
Vigo
Os peixes todos saben o seu nome. Nos sete mares do mundo pescan mariñeiros embarcados en Vigo, a capital europea da pesca. A iniciativa industrial fixo desta aldea galaico-romana a metrópole industrial do sur do país
Axeitos
Dolmen de Axeitos, Ribeira
São os primeiros monumentos da Galiza. Há 6000 anos, as primeiras comunidades de agricultores começaram a erguer dólmenes. Do mar à montanha, no nosso país contam-se por milhares, mas só alguns revelam as suas grandes pedras em céu aberto.
Desenhos gravados nas rochas graníticas. Há 4500 anos, as povoações da Idade do Bronze deixaram a sua marca nos montes. São um enigma sem paralelo na Península Ibérica.
Baroña
Castro de Baroña, Porto do Son
Os castros são as primeiras vilas e aldeias. Muitos desapareceram sob as atuais povoações, mas outros ainda revelam as ruínas das suas casas circulares. São o testemunho da cultura que enfrentou Roma.
Os torques são as joias de ouro que se utilizam ao pescoço. São o orgulho dos guerreiros dos castros, como estas peças conservadas no Museu de Lugo.
Monte Louro
Monte Louro
O oceano amansa-se nas rias. Nestas singulares formações geográficas, o mar penetra terra adentro e a vida nasce. A paisagem é sempre um prodígio surpreendente nas doze rias galegas.
A palavra ria é hoje um termo geográfico internacional utilizado em vários idiomas, graças ao geógrafo alemão Von Richthofen, que propôs a sua utilização em 1886.
Pórtico
Pórtico da Gloria, catedral de Santiago
São os séculos dourados, durante a Baixa Idade Média, no Reino da Galiza renova-se a agricultura, generaliza-se o comércio e as artes florescem no século XII; Santiago será o lugar da Europa onde o canto polifónico é escutado pela primeira vez.
O Românico atinge o seu esplendor com o Pórtico da Glória. Aqui, a arte europeia aprende a sorrir novamente, depois de três séculos de esquecimento.
Medievo
Músicos do Libro da Música de Afonso X
A Idade Média é também o tempo da nossa grande criação coletiva, os galegos começam a falar galego, uma língua românica, filha do latim e irmã do português, que alcança a sua madureza literária no século XIII. Reis, nobres e trovadores de todas as classes cantam ao amor nas terras da Galiza e Portugal.
As cantigas medievais galegas são um dos tesouros do património cultural da Europa; como exemplo, esta peça do trovador Martin Codax, interpretada pelo grupo In itinere
Via Lactea
A Vía Láctea ou vía dos peregrinos
A capital da Galiza é a única cidade do mundo que tem uma marca astral. À noite, um regueiro de estrelas marca no céu uma direção, o Caminho de Santiago, rumo ao extremo confim do continente europeu.
Calçado de peregrinos chegados a Santiago, no albergue do Monte do Gozo. A pé ou a cavalo, de carro ou avião, a rota continua viva.
Catedral
Fachada do Obradoiro, catedral de Santiago
Historicamente, a intenção da viagem era a visita à tumba de Santiago o Maior, um dos doze apóstolos de Cristo, que a tradição diz estar enterrado na capital da Galiza. O encontro de todas as gentes do continente no Caminho fez desta rota um forte ponto de encontro cultural da Europa.
Nas datas festivas, um enorme incensário oscila entre as abóbadas da basílica. A Igreja celebra o Ano Santo Jacobeu (Xacobeo) quando o dia 25 de julho, festa do Apóstolo, coincide num domingo.
Gastronomia
Produtos do océano galáico
Nalguns museus galegos conservam-se conchas de mariscos consumidos nos castros há 2000 anos. Mas é a combinação dos produtos do mar com os produtos da terra que conformam a Dieta Atlântica.
A Dieta Atlântica: consumo elevado de peixe e marisco, vegetais e outras verduras, consumo moderado de carnes vermelhas, batatas... tudo preparado de forma simples. Vários cientistas promovem esta dieta desde a Declaração de Baiona (2006).
Parlamento
Sesión no Parlamento de Galicia
A Galiza vive um período excecional da sua história. Desde 1981, a Galiza conta com um parlamento e um governo eleito em pluralidade, com amplas competências no enquadramento do Estado espanhol.
O primeiro escudo da Galiza foi desenhado em Inglaterra por volta de 1282, a partir da parecença fonética entre Galice e Calice. Conserva-se no Colégio de Armas de Londres.
Cabo Fisterra
Cabo Fisterra
Situada a sul do mar Céltico, a norte do espaço mediterrânico, a Galiza forjou uma cultura numa encruzilhada destes dois mundos. Aqui encontrará um antigo reino atlântico onde vivem cerca de três milhões de galegos.
É esta a flor do Ocidente, a que cresce nas falésias mais escarpados do fim da Europa nos meses de maio e junho. É a flor da erva de enamorar (Armeria Maritima Willd.), que as jovens galegas utilizam nos seus feitiços de amor.
Hoxe
Cartaz dunha compañía navieira, 1910
Para os galegos, a Finisterra nunca foi senão o princípio. Só entre 1880 e 1930, emigraram quase um milhão e meio de pessoas. A marca humana galega ainda se sente na América: Simón Bolivar, Bernardino Ribadavia, Fidel Castro, García Márquez, Nélida Piñón e Martin Sheen são descendentes de galegos.
Hoje, a presença da Galiza no mundo também é económica: tem aqui sede a maior cadeia internacional de moda, a exportação de automóveis chega aos 12% do PIB e é a primeira potência piscatória da Europa.
Cabo Fisterra
Cabo Fisterra
Sob a luz escura e misteriosa do Atlântico, na extremidade ocidental da Europa, existe um país verde que se inclina sobre o mar maior.
Encontrada no cabo Ortegal, esta pedra de anfibolito é uma amostra da rocha mais antiga da Península Ibérica. Foi forjada no fundo do oceano há 1156 milhões de anos.
Regato Deza
Regato, comarca do Deza
O Atlântico manda, porque é do oceano que vêm as chuvas que mantêm sempre verde este país, e é para ele que correm os mil rios da Galiza e é dele que vem o tempo temperado trazido pela corrente do golfo.
Partilhe-me em...

A minha viagem

A miña viaxe

Preparando a viagem...

Armazene toda a informação necessária para organizar a sua viagem: museus, monumentos, locais de interesse, alojamentos, restaurantes...

Depois de o fazer, poderá ver o plano do seu itinerário, guardar informação em PDF ou exportar as suas localizações em GPS

Durante a viagem...

Já está a usufruir da Galiza. Aqui poderá consultar o plano da sua rota, guardar informação em PDF ou exportar as suas localizações em GPS. Se dispuser de um telemóvel com GPS, poderá ver a sua localização no mapa.

Despois da viagem

Agora que regressou, poderá anotar o que lhe pareceu aquilo que visitou e, também, marcar aquilo que não pôde ver, para não se esquecer da próxima!

Entrar
Xunta de Galicia Turismo de Galicia

© 2013 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Acima