Em Carnota, pode-se viver uma experiência mágica e insólita... a de se sentir numa praia infinita.

Sete inacabáveis quilómetros de areia finíssima e uma perfeita forma de meia-lua. Carnota, que durante a maré baixa chega a ter 1 km de largura, é um mundo natural noutra dimensão.

Dominando a praia, alçam-se as ciclópicas rochas zoomórficas d’A Moa, o cume do Monte Pindo, ou o Olimpo sagrado dos celtas, que se ergue até alcançar 627 m de altitude. Aos seus pés, na pequena povoação de Ézaro, outro espetáculo único, a cascata do rio Xallas que se precipita no mar a uma altura de 40 m.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

E no extremo norte, nas Marismas de Caldebarcos, podem ver-se aves aquáticas como corvos-marinhos-de-crista, albatrozes, ostraceiros, maçaricos-reais, garças, rolas-do-mar e também… as escorregadias lontras.

Um "Olimpo" particular

Praias, dunas e marismas; falésias, ilhas Lobeiras e reserva marinha; o rio Xallas com a lendária cascata de Ézaro, o Olimpo celta d’O Pindo com as suas esculturas naturais em granito, Ponto de Interesse Geológico nacional... Tudo isto forma um dos espaços litorais mais variados da comunidade, onde o que é natural significa grandeza.

A praia de Carnota é a mais extensa da Galiza. O areal, de sete quilómetros de comprimento por meio de largura, prolongando-se por dunas, abre-se num canal na zona norte onde o mar penetra criando uma planície intermareal de grande produtividade natural.

Da fertilidade da várzea contígua às marismas, dão testemunho os famosos espigueiros de Carnota. São os depósitos de grão e armazenamento hortícola mais compridos da Galiza.

O monte Pindo ergue-se a 627 metros a dois escassos quilómetros do mar. É preciso dedicar umas horas e muita precaução ao caminho de subida até ao cume d’A Moa, sobretudo na descida. O caminho évigiado pelas figuras pétreas de formas humanas como o “guerreiro” e outros castelos de granito que põem à prova a gravidade e a imaginação.

De mais fácil acesso é o lugar onde o Xallas se precipita sobre o mar em forma de cascata antes da barragem do rio, a montante. Quando nas datas assinaladas da época turística se abrem as comportas da barragem, ainda se pode admirar a bravura de uma das cascatas únicas da Europa. Devido a tudo isto, O Pindo é um particular Olimpo celta, além de que se baseia na semelhança fonética com o monte grego Pindhos.

Na costa de Carnota existe também uma iniciativa pioneira: é o turismo pesqueiro para a revalorização da pesca artesanal e a criação de uma reserva marinha habilmente promovida pela própria Confraria de Pescadores de Lira.

Dados de interesse

Situação
Municípios de Cee, Dumbría, Mazaricos e Carnota, na Corunha.

Superfície
4628,87 ha., dos quais 438 ha de águas marinhas.

Acesso
A estrada AC-550, entre Cee e Carnota

Serviços

  • Alojamento: Sim.
  • Comer: Sim.

Equipamentos
Centro de Interpretação Paisagística (A Cabana-Lira).

Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba