Estes são os municípios que integram o geodestino: A Estrada, Agolada, Cerdedo, Dozón, Forcarei, Lalín, Rodeiro, Silleda e Vila de Cruces.

Este é o coração da Galiza. E aqui, no mais profundo de uma bela floresta de pinheiros, carvalhos e castanheiros, esconde-se "A Fervenza do Toxa", uma fabulosa e hipnótica cascata de mais de 30 metros de altura. A água cai por entre as rochas com tanta força que ao chocar contra o granito volta a subir, dando a sensação de “chover para cima”. E o som da água funde-se com o dos pássaros numa melodia.

É a magia da Galiza. Florestas ocultas que se conservam exatamente iguais ao longo dos séculos. Uma paisagem de sonho como a que rodeia o mosteiro de Carboeiro, fundado no século X.

Estamos no vale do rio Deza, o centro geográfico da Galiza do qual Lalín é a capital, famosa pela sua multitudinária "Festa do Cocido".  Perto d’A Estrada encontra-se um dos paços emblemáticos da Galiza. É o Paço de Oca, "o Versalhes galego", com os seus românticos jardins, fontes e passeios de camélias.

Património

Um monumento reconvertido para uso hoteleiro chama a atenção: o convento de Aciveiro, na parte alta da Serra do Candán. O convento começou a ser construído em 1135 e segue a estrutura cisterciense.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Também convém destacar mais sete monumentos da zona distinguidos com a declaração de Bem de Interesse Cultural: as igrejas de San Salvador e Santa María de Vila de Cruces; Santiago de Tabeirós em A Estrada; Santa María de Abades e San Pedro de Ansemil em Silleda; assim como as gravuras rupestres de San Xoán de Tuiriz em Vila de Cruces e os da Pena da Carballeira em Agolada.

Tanto aí como noutros pontos do geodestino deteta-se uma presença clara da nova cozinha de autor, mas que não pode substituir a tradicional, com o porco mandando nos quatro pontos cardinais e sobretudo no Carnaval, uma festa popular milenária que se celebra por todo o alto.

Como curiosidade, ainda estão em pé algumas alvarizas, essas construções circulares erguidas para proteger as colmeias da gula do osso, um plantígrado muito abundante na Galiza de ontem e que já só se divide nas terras de Lugo oriental.

Espaços naturais

Montanha de interior. Nevoeiro no outono e inverno, belas paisagens gélidas. As Brañas de Xestoso, no alto, conformam o primeiro espaço natural protegido. A Serra do Candán é o segundo, e, máis ao oeste, os Sobreirais do rio Arnego, uma corrente que vai alimentar a barragem de Portodemouros, limítrofe entre as províncias de A Corunha, Lugo e Pontevedra.
 
Em Lalín, a Fraga de Catasós tem a declaração de Monumento Natural. Trata-se de uma floresta autóctone certamente não muito conhecida e, por isso mesmo, de muito mais valor, visto que se encontra em excelente estado de conservação.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

No norte o sistema fluvial Ulla-Deza, entre prados e grandes paços, e ao oeste o Monte Faro, com uma ermida no alto, completam a relação de espaços da Rede Natura.
 

Festas e gastronomia

O cozido é o eixo da gastronomia do geodestino. Lalín não desperdiça essa oportunidade e a Feira do Cocido (Festa de Interese Turístico Nacional) revive cada ano com o carnaval.

Também é concorrida a Festa do Gaiteiro de Soutelo, em Forcarei, que conta com a declaração de Festa de Interesse Turístico da Galiza. Não muito longe, em Vila de Cruces, a Festa do Galo de Curral está considerada de Interesse Turístico da Galiza, enquanto, em A Estrada, outra festa declarada de Interesse Turístico Internacional converteu-se em polo de atração: a Rapa das Bestas de Sabucedo, a luta milenária entre o homem e o cavalo selvagem.

Metidos em agosto é a localidade de Bandeira a que reclama a atenção, com a Festa da Empanada, existente desde 1974. O pernil de porco e os melindres, enfim, são honrados como se merecem em Silleda. Mel e queijos completam o mapa gastronómico, o primeiro em Codeseda e os segundos em Vinseiro e Callobre.

Durante o carnaval em várias zonas tem lugar os Altos dos Xenerais do Ulla, normalmente o fim de semana anterior à terça-feira de carnaval, e cantam-se os “vivas” e dão-se os “atrancos”.

DESTACADO: Fervenza do Toxa e Mosteiro de Carboeiro

O rio Toxa cai em cascata na conhecida Fervenza desde vinte e cinco metros em queda vertical esculpindo a rocha entre uma imensa floresta de carvalhos e castanheiros. Esta impressionante paragem está comunicada por agradáveis trilhos com o Caminho do Sueste a Santiago e também com o Mosteiro de Carboeiro e a bela ermida gótica de San Pedro de Ansemil.

O mosteiro de San Lorenzo de Carboeiro localiza-se nas margens do rio Deza e está quase oculto na vegetação frondosa da floresta. O mosteiro está considerado uma joia do romano ogival galego e foi mandado edificar em 936 por Gonzalo e Teresa, Condes de Deza.

 

Arriba