A Ria de O Barqueiro é uma das mais pequenas da Galiza e também uma das mais bonitas. O furioso encontro entre o Atlântico e o Cantábrico produz-se no cabo de Estaca de Bares, o ponto mais a norte da Península Ibérica e um excelente observatório de aves. Todos os outonos milhares e milhares de aves sobrevoam esta costa e a ilha Coelleira, onde as ruínas de um antigo mosteiro templário lhes servem de refúgio secreto.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Junto à foz do Sor, um rio que tem salmões, existe o porto de O Barqueiro com as suas casas brancas derramadas pela ladeira, que se assemelham a um anfiteatro com vista para o espetáculo do mar. Bares é também marinheira e pitoresca, com o aliciante adicional de um gigantesco dique cuja construção se atribui aos fenícios.

A este da ria, o abrigado porto de O Vicedo converte-se na esplêndida praia de Area Longa.
 

 

Arriba