E, continuando com a temática do jubileu, o nosso percurso prossegue para o Cabo Finisterra pois durante o auge das peregrinações havia quem, depois de ter visitado o sepulcro de Santiago, prolongava a sua viagem até estas terras para efetuar um percurso marcado no céu pela Via Láctea.

O Cabo Finisterra foi considerado durante a Antiguidade como o fim do mundo conhecido. De fato, a sua localização geográfica e os impressionantes entardeceres fizeram crer a Décimo Júnio Bruto (general romano que comandou a conquista da Galiza) que este era, efetivamente, o lugar onde morria o sol. Os arredores deste cabo foram um lugar mágico na antiguidade, pois conta-se que neste lugar se encontrava a Ara Solis, um altar onde, segundo a lenda, os fenícios praticavam o culto ao sol. Assim, não deixeis de fazer um passeio por este recanto das nossas costas onde a magia do lugar guiará os vossos passos.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Ao chegar à aldeia de Finisterra visitai a zona do porto; aí podereis contemplar o ir e vir das embarcações num mar tão calmo que não tereis a impressão de estar na feroz Costa da Morte. Perdei-vos entre as ruas desta aldeia de pescadores e entrai em alguma das suas tabernas, onde vos acompanharão as anedotas dos velhos lobos de mar, ao mesmo tempo que dais conta de um bom prato de longueirões como aperitivo ou de qualquer outro delicioso produto destas águas bravas.

Continuai a viagem para a zona do farol, parando no santuário românico de Santa María das Areas que alberga no seu interior a venerada imagem do Cristo da Barba Dourada. Conta a lenda que uma embarcação se desfez da imagem por ter dificuldades de navegação e que a mesma chegou à aldeia arrastada pelo mar. Não deixeis passar a oportunidade de ver esta imagem para poder comprovar pessoalmente se é verdade o que todos contam: asseguram que lhe crescem os cabelos e as unhas… No caminho para o fim do mundo devemos conhecer outro lugar mágico: as ruínas da ermida de San Guillerme, um lugar impregnado de poderes mágicos relacionados com a fecundidade. De fato, este é um lugar onde, ainda há pouco tempo, acudiam esperançados os casais à procura de um milagre para conceber o filho que não chegava.

Seguindo pela mesma estrada, é frequente encontrarmos peregrinos a caminhar devagar enquanto contemplam as vistas da ria de Corcubión, com o Monte Pindo ao fundo.

Interessa-lhe...
- Mais informação em www.concellofisterra.com

Chegados ao farol, as majestosas vistas da falésia sobre o oceano Atlântico, o mar a bater com força e a sensação de que não existe mais nada que se interponha entre este pedaço de terra e o novo continente, excetuando toda a água do oceano, deixará marca em vós, pois não é todos os dias que se tem a oportunidade de ver o entardecer no Fim do Mundo.

Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba