Ancares é o nome original do rio que emprestou a sua sonoridade às montanhas mágicas entre a Galiza e Leão. Exercem o seu magnetismo de longe, presas de horizontes a uns escassos dois mil metros. Entra-se nelas com um especial estado de admiração e respeito, por caminhos que procuram os cumes encostados a estreitos e profundos vales.

Nas povoações mais altas descobriremos as "palhoças", ancestrais construções de planta circular e teto de palha malhada. Parece que as suas formas curvas mas régias se inspiram nos cumes das montanhas, suaves e agrestes.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Os rios que descem pela vertente galega procuram todos eles o Navia, que cinge completamente o espaço protegido pelo oeste e conduz as águas para o Cantábrico. Um bom exemplo é o belo vale lavrado pelo rio Ser ou as gargantas do rio Rao, no município de Navia de Suarna. A vertente leonesa, pelo contrário, desagua no sul, na bacia do Sil.

A declaração d’Os Ancares como Reserva da Biosfera na Galiza e em Castela e Leão significa a sua inclusão como unidade da próxima Gran Cantábrica, uma sucessão de espaços naturais de alto valor ambiental no norte da península. O urso pardo, o seu símbolo mais reconhecido, tem também este ponto lucense como zona de passagem.

Natureza singular

O matagal cobre grande parte dos sopés orientais. Importantes colónias arbustivas pela produção de bagas como o azevinho e o mirtilo. Abundam os castanheiros e os carvalhais.

Na fauna, é necessário uma menção às espécies emblemáticas que não se encontram noutras partes da Galiza, tais como o urso pardo ou o tetraz, que teve aqui os últimos exemplares da comunidade. Proliferam os javalis, cabritos-monteses, cervos, coelhos.

Dados de interesse

Situação
Este da província de Lugo, limítrofe com Leão. Inclui os municípios de Cervantes, Navia de Suarna e parte do município de Becerreá.

Superfície

  • Os Ancares lucenses: 53 664 hectares.
  • Os Ancares leoneses: 56 786 hectares nos municípios de Candín, Peranzanes, Vega de Espinareda e Villafranca del Bierzo.

Acesso

  • Autoestrada A-6 e N-VI até Becerreá.
  • A estrada LU-722 comunica com A Pobra em Navia de Suarna e possui os principais desvios para a serra.

Serviços

  • Alojamento: Sim.
  • Comer: Sim.

Mais informações
Instituto Lucense de Desenvolvimento Económico e Social (INLUDES). Tel.: 982 227 812.

Equipamentos

  • Centro de Interpretação e Gestão da Reserva Nacional de Caça d’Os Ancares (Campa da Braña)
  • Aula da Natureza em Campa da Braña-Degrada (Cervantes). Tel.: 982 181 252
Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba