Saboreemos a água de Guitiriz em família. Percorramos os seus belos espaços naturais, cheios de fontes, rios e moinhos. E aproveitemos as propriedades das águas mineromedicinais da sua afamada estância termal, enquanto as crianças brincam na zona lúdica termal.

A riqueza do seu ecossistema hídrico tornou-o em Sítio de Importância Comunitária (SIC) e a bacia hidrográfica à qual pertence é Reserva da Biosfera.

Em Guitiriz, a água inunda os sentidos: vendo-a correr pelos rios e riachos cristalinos, ouvindo-a cair de pequenas cascatas, bebendo-a e cheirando-a nos seus mananciais ou tomando banho nas estâncias balneares. As belas e serenas paisagens que este elemento líquido origina são perfeitas para se usufruírem em passeios e banhos com a família.

Mais informação...
- Estância termal de Guitiriz. www.balneariodelugo.com
- Marcelle Natureza. www.marcellenatureza.com

1º Dia

O valor da água em Guitiriz

Aconselhamos-vos a chegarem por volta do meio-dia a Guitiriz, povoação situada na comarca d’A Terra Chá, na província de Lugo, para aproveitar o dia em contacto com a natureza e a água.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

O nosso destino é uma das estâncias termais de referência na Galiza, famosa por umas águas mineromedicinais muito singulares porque brotam frias e são especialmente indicadas para o aparelho digestivo e renal.

O nome de Guitiriz ultrapassou fronteiras graças ao seu hotel termal. Depois de um encerramento prolongado, partilha do renascer do termalismo na Galiza. No ano de 2003, foi submetido a uma importante reforma, na qual se respeitou o imponente aspeto original do edifício e se construiu um novo que alberga a estância termal e o clube termal. O bosque de mais de 40 hectares que o rodeia, no qual está incluído um campo de golfe, aumenta a sensação de mergulharmos em plena natureza.

Batatas, grelos e queijo, produtos estrela da comarca
Uma vez instalados, propomos-vos comerem num restaurante típico, numa churrascaria ou num restaurante da zona. Terra Chá é um vergel do bom produto galego, com denominações e indicações geográficas protegidas que protegem muitos dos seus produtos, tais como a batata, os grelos ou o delicioso queijo de San Simón da Costa. Por isso, um lacão com grelos, um cozido galego, também com grelos, ou inclusivamente uma simples tortilha de batata são um regalo para o paladar, se além disso o coroarmos com a típica torta de milho de Guitiriz.

A Rota da Água
O valor que a água tem em Guitiriz permite-nos aproveitar este recurso de muitas formas. As suas terras pertencem à Bacia Alta do Rio Minho, chamada “Terras do Minho” e declarada Reserva da Biosfera pela Unesco. E, dentro da mesma, estão no Sítio de Importância Comunitária (SIC) Parga-Ladra-Támoga.

Depois do almoço, propomos-vos que comecem a tarde por dar um passeio pedestre por esta paisagem de grande valor ambiental seguindo a rota homologada PR-G 99, conhecida como “Rota da Água”. Corre pelas margens dos rios Parga e Ladroil, ligando as três fontes guitiricenses de águas curativas mais importantes: Valdobín, San Xoán de Lagostelle e Fonte de Santo Domingo. O seu traçado, sem desníveis, é perfeito para ser percorrido com as crianças.

Moinhos nas margens do rio
O percurso total atinge quase vinte quilómetros. Por isso, sugerimos que o limitem nesta ocasião à parte que liga as imediações da Estância Termal de Guitiriz à área recreativa Sete Muíños, onde os miúdos se sentirão à larga após a caminhada. Chegaremos apenas um quilómetro e meio depois de atravessar a capital municipal. Encontrarão um espaço natural de grande beleza com os moinhos que se encontram na margem do rio Escádebas, outorgando um grande valor etnográfico à área recreativa.

Connosco, parecem caminhar os amieiros, bétulas, carvalhos, castanheiros e pinheiros da ribeira. As pontes de madeira e as passagens sobre o rio permitem percorrer sem perigo esta zona e contemplar as cascatas que se formam antes de cair numa poça, transformada hoje numa piscina natural. Se o tempo o permitir, podemos dar um mergulho nela. Os mais pequenos podem passar um bocado divertido a brincar no parque infantil situado nesta zona.

Uma sessão na estância termal para crianças e adultos
Após o passeio, podemos contemplar a tarde nos espaços lúdicos termais da estância termal. As crianças divertir-se-ão na piscina termal infantil e na sua zona de jogos. Enquanto isso, os adultos podem relaxar-se fazendo um circuito termal e aproveitando as propriedades mineromedicinais destas águas, antes do jantar no restaurante do hotel.

2º Dia

Natureza selvagem em Outeiro de Rei e história medieval em Friol

Sugerimos que, depois do pequeno-almoço, se encaminhem para Outeiro de Rei para passar a manhã no jardim Marcelle Natureza. Para a tarde, propomos-vos uma visita à Fortaleza de San Paio de Narla.

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

Animais de vários continentes num único ambiente natural
Demorarão meia hora a chegar de carro pela N-VI. Trata-se de um espaço natural onde nos podemos aproximar de animais autóctones e de outros pontos do planeta e conhecer mais sobre a diversidade biológica que nos rodeia, tanto fauna como flora.

Neste meio, encontramos lamas e nandus da América do Sul, bisontes e wapitis da América do Norte, emas e cangurus australianos, zebras e elandes africanos ou muflões e linces-europeus. Poderemos ver ursos desde miradouros seguros e lobos que gozam de um minibosque reservado para eles. Também seremos surpreendidos pelas serpentes e tartarugas gigantes do reptilário.

O parque dispõe de zonas de merenda cobertas, ideais para descansar e repor forças para continuar a visita. Podemos trazer o nosso próprio piquenique, que o restaurante do hotel nos preparará e saboreá-lo aqui se o tempo o permitir. Se não for assim, há no parque um quiosque e um restaurante, em cuja ementa se incluem especialidades de carnes exóticas.

Visitamos uma fortaleza medieval
À tarde, propomos-vos que visitem a Fortaleza de San Paio de Narla, conhecida popularmente como Torre de Xiá, a qual se ergue numa colina junto ao rio Narla, no município de Friol. Encontra-se a uma meia hora de distância pelas estradas provinciais LU-234 e LU-232.

Garantiremos uma tarde entretida com as crianças percorrendo este grande conjunto fortificado do século XIV, que está formado pela chamada Torre da Homenaxe, corpo central, torreão e capela. Vítima de alguns capítulos das revoltas irmandiñas, rebeliões do campesinato contra a opressão senhorial na Idade Média, foi reconstruída no século XVI. Hoje, abre-nos as portas como museu etnográfico e de história.

Cada um ver-se-á tomado pela enorme variedade de elementos que são expostos: teares, mobiliário antigo, alfaias de lavoura na adega, selas nas cavalariças e uma grande coleção de armas brancas e de fogo no terceiro andar da Torre da Homenaxe. Entre elas destacam as habituais armaduras e as de samurai. Também iremos reparar na originalidade de uma chaminé renascentista decorada com elementos zoomórficos e fitomórficos.

Pão, queijo e trutas para o jantar
Se depois da visita quiserem jantar na zona, não se esqueçam de acompanhar a refeição com pão de Ousá e de pedir uma tábua de queijos artesãos de Friol, duas das suas iguarias gastronómicas, juntamente com as trutas do rio Narla.

3º Dia

Despedimo-nos de Guitiriz na estância termal

Depois do pequeno-almoço, podemos fazer um tratamento de estética ou de saúde, receber uma massagem ou aproveitar os jacuzzis de jato e borbulhas. Se quiserem dilatar mais a saída, podem querer fazer um lanço mais da “Rota da Água

Pode haver recursos que não estejam georreferenciados e, portanto, não os está a ver.

O último circuito termal.
Depois do pequeno-almoço, podemos fazer um tratamento de estética ou de saúde, receber uma massagem ou aproveitar os jacuzzis de jato e borbulhas, a pulverização com aromaterapia ou a área de massagem com sabão, incluído no circuito termal. As crianças divertir-se-ão na zona de jogos e dando os últimos mergulhos na piscina de água mineromedicinal, aproveitando ao máximo o escorrega aquático.

Uma caminhada entre curiosas fontes
Se quiserem dilatar mais a saída, podem querer fazer um lanço mais da “Rota da Água”. Propomos-vos começarem na magnífica ponte medieval de San Alberte, por onde passa o Caminho do Norte para Santiago de Compostela.

Só no reino da Galiza se encontram tantas fontes minerais que neste ponto não se igualam a nenhum outro do resto de Espanha”.
Pedro Gómez de Bedoya, médico da Ilustração (1772)

Perto, encontraremos a capela com o mesmo nome num ambiente natural de grande beleza. Trata-se de um edifício gótico do século XIII com reminiscências árabes e aos seus pés, brotando água, a Fonte da Fala, assim conhecida porque uma mistura de tradição e de lenda atribui às suas águas o poder de curar a gaguez.

Se avançarem um pouco mais, chegarão até à Fonte de Valdobín, localizada numa bonita área preparada nas margens do rio Parga, perto de Parga. Nesta povoação, há também um belo carvalhal onde aproveitar um apetecível descanso e ficar a almoçar se nos apetecer.

Xunta de Galicia

© 2016 Turismo de Galicia | Todos os direitos reservados
Política de privacidade | Contacto | Accesibilidade

Galicia
Arriba